Novo corte no Bolsa Família poderá atingir 2,9 milhão de famílias no estado de São Paulo

O Governo Federal decidiu que, neste momento de forte crise econômica que o Brasil atravessa, seria necessário um corte no Bolsa Família, principal programa social do país. Medida iria reduzir em 2,9 milhões o número de beneficiários apenas no Estado de São Paulo. Dos 47,8 milhões de beneficiários em todo o país, 23,2 milhões seriam excluídos do programa de acordo com o governo.

Nas simulações feitas pelo Ministério do Desenvolvimento Social, o Estado de São Paulo teria a maior evasão: cerca de 61% dos quase 5 milhões de beneficiários do programa, teriam de ser desligados.

O estado do Paraná é o que mais perderia beneficiários em termos proporcionais: 75% do 1,4 milhão de pessoas contempladas sairiam do programa social. Nas simulações, o critério do ministério para fazer o corte atinge inicialmente as famílias beneficiárias que trabalham e têm maior renda dentro do programa e, depois, aquelas que só contam com o Bolsa Família como fonte de renda.

O estado de São Paulo encabeça a lista, seguido por Minas Gerais e Bahia. Estados mais pobres, como Piauí e Maranhão, teriam o menor corte proporcional, abaixo de 30% do total de beneficiários.

Pelas projeções do governo, 7,9 milhões de pessoas entrariam na pobreza extrema com o corte, das quais 764 mil só em São Paulo. A diminuição nos repasses do programa atingiria 11,35% da população do país. Os dados mostram que haveria um aumento da evasão escolar das crianças, uma vez que, hoje, os alunos beneficiados com o programa têm frequência escolar 3,1% maior do que estudantes em condições similares.

Até o momento, além da discussão pública dos números do programa, não há uma estratégia definida para barrar a iniciativa do governo federal. Por ora, aliados do governo citam manifestações de Dilma, do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e até mesmo de lideranças oposicionistas pela manutenção do programa, assim como o “efeito multiplicador” na economia das cidades, para impedir o corte no programa.