Satélite americano captou clarão em queda de avião russo

Avião russo cai no Egito com 224 pessoas a bordo
Avião da companhia russa Kogalymavia caiu no sábado (31-out) com 224 pessoas a bordo

A emissora CNN informou nesta terça-feira (3) que um satélite norte-americano registrou um clarão e um aumento de temperatura no momento do acidente com o Airbus A321 da companhia russa Kogalymavia, na região do Sinai, no Egito que deixou 224 mortos, o que poderia indicar a explosão de uma bomba.

O voo 9268 da Kagalymavia desapareceu dos radares e caiu após 23 minutos da decolagem, com 217 passageiros, sendo 17 crianças, e sete tripulantes.

O clarão poderia indicar uma série de possibilidades, como a explosão de um artefato dentro do avião, problemas no motor da aeronave ou falhas estruturais. Jornais russos noticiaram nesta manhã que os primeiros registros analisados pelas autoridades do Egito mostram que houve uma situação de emergência, com “barulhos não característicos de um padrão normal” de voo.

Houve repentinamente uma situação de emergência a bordo que pegou a tripulação de surpresa e os pilotos não tiveram tempo de enviar um sinal de socorro“, escreveu a agência Interfax.

Ontem, a companhia aérea Kogalymavia afirmou que o avião fora derrubado por “forças externas”. “Um A321 não pode se quebrar no ar por causa de um mau funcionamento de qualquer sistema técnico”, disse um dirigente da companhia.

No entanto, Moscou se apressou a desmentir a informação, dizendo que, “apesar de nenhuma hipótese estar excluída”, é “prematuro” fazer a afirmação. No dia do desastre aéreo, o grupo terrorista Estado Islâmico (EI, ex-Isis) chegou a assumir o atentado como uma resposta aos ataques russos na Síria, iniciados no fim de setembro. Especialistas, no entanto, disseram que seria difícil atingir um avião com um míssil externo, levando em conta a altitude da aeronave no momento do acidente.

Nesta terça-feira (3), chegou a São Petersburgo o segundo avião com os corpos dos passageiros do A321, que caiu no último sábado (31-out). Um primeiro avião com 144 corpos chegou à cidade russa ontem de manhã. As autoridades locais já conseguiram identificar nove vítimas. Todos os passageiros do avião eram russos e estavam retornando de um resort em Sharm el-Sheikh, no Mar Vermelho.