Campinas registra quarta morte por prática de exercícios em 30 dias, duas delas na Lagoa do Taquaral

Campinas registra quarta morte por prática de exercícios em 30 dias, duas delas na Lagoa do Taquaral
Entrada principal da Lagoa do Taquaral em Campinas

Um homem de 45 anos morreu na segunda-feira (30-maio) após sofrer um mal súbito enquanto corria na Lagoa do Taquaral em Campinas, este é o quarto registro de morte apenas no mês de maio por praticantes de atividades físicas. Segundo o Samu, que prestou os primeiros socorros, o homem não resistiu até a chegada ao hospital Mário Gatti.

Outras três mortes por mal súbito foram registradas, a primeira foi no dia 2 quando um aluno de 23 anos da Faculdade de Educação Física da Unicamp morreu enquanto corria na pista de atletismo.

O segundo caso aconteceu no dia 8 quando um homem de 37 anos corria na pista interna da Lagoa do Taquaral quando teve uma parada cardíaca e o terceiro caso foi no dia 18 quando um homem de 40 anos fazia exercícios em uma academia do Bosque quando passou mal e veio a falecer.

De acordo com a legislação brasileira, qualquer lugar com circulação média diária de mil pessoas deve ter um desfibrilador externo automático (DEA) que é utilizado em paradas cardiorrespiratórias com o objetivo de restabelecer ou reorganizar o ritmo cardíaco por pessoas qualificadas.

 




A prática de exercícios é sempre recomendada e muito saudável ao corpo humano, porém alguns cuidados precisam ser observados antes de ser iniciada a rotina;

– Consulte sempre um médico antes de iniciar qualquer atividade física, pois a avaliação cardiovascular é de extrema importância antes da prática. Consultar um nutricionista e um educador físico também se faz necessário.

– Alguns sintomas devem ser observados, como: cansaço excessivo, escurecimento da visão, sensação de mal-estar, alteração do ritmo cardíaco (verificado no pulso), dor no peito, e formigamento nos braços. Caso sejam notados alguns desses sintomas, um médico deverá ser procurado com urgência.

– Respeite seus limites, ultrapassa-los pode acarretar comprometimentos à saúde;