Confederação Brasileira de Taekwondo espera coversa Anderson Silva

Presidente de Confederação vê com bons olhos meta olímpica do lutador de MMA

img_8663A possibilidade de ter Anderson Silva representando o Brasil nos Jogos Olímpicos de 2016 é vista com bons olhos pela Confederação Brasileira de Taekwondo (CBTKD). A entidade reconhece que uma parceria com o ex-campeão do UFC pode ser rentável para os dois lados. No entanto, um possível acerto depende de conversas entre o presidente da entidade, Carlos Fernandes, e o atleta. A CBTKD deixa claro, tanto através do dirigente quanto de seu diretor técnico, que o Spider precisará disputar processo seletivo interno para, quem sabe, conquistar uma vaga nos Jogos Olímpicos de 2016.

– Na verdade, independentemente de qualquer tipo de acordo que eu venha a ter com ele, aceitação ou não, o processo seletivo é o ponto certo. Isso vai ter, claro. O Anderson vai ter que estar preparado para qualquer frente que vier para ele poder participar – disse o presidente, Carlos Fernandes.

Considerado um dos maiores lutadores da história do MMA, Anderson iniciou sua trajetória nas artes marciais no taekwondo e não por acaso tem em seu currículo grandes golpes provenientes da luta. O Spider escreveu uma carta ao presidente da Confederação se colocando à disposição para entrar no time. Carlos Fernandes, por ora, preferiu falar com cautela sobre a possibilidade, lembrando que ainda precisa se encontrar pessoalmente com o lutador, com quem só falou por telefone sobre o assunto.

– É uma possibilidade para o esporte. O Anderson é uma referência nacional. Mas nós temos que conversar para saber como está a disposição dele, como está o todo. Aí vou me pronunciar. Primeiro quero estar com ele frente a frente para podermos conversar oficialmente. Já estamos querendo agendar nosso encontro. Falei com ele na semana passada, na quarta-feira, depois que passou a carta oficial. Assim que ele pisar em solo brasileiro, vai se encontrar comigo para termos uma reunião sobre essa possibilidade – explicou o presidente.

Esta não foi a primeira vez que Anderson Silva sinalizou seu interesse pelos Jogos Olímpicos do Rio 2016. Em 2012, ele virou embaixador do esporte. Desde 2013, no entanto, ele sofreu golpes duros com as duas derrotas para o americano Chris Weidman. Na segunda, inclusive, fraturou perna esquerda.

– Ainda não amarramos isso, mas olhamos com bons olhos. Acho que tanto para a referência e para o currículo do Anderson, apesar de ter um nome e um conceito, ele começou no taekwondo. E o taekwondo já tem um nome internacional. E as Olimpíadas são sempre Olimpíadas. E o Anderson pode ter essa oportunidade dele. Então vai ser bom para os dois. Tanto para o taekwondo de nível mundial, quanto para o próprio Anderson. Acho que vai ventar lá e vai ventar cá – concluiu o presidente.