Galvão Bueno conduz a Tocha Olímpica e é acompanhado por multidão no Paraná; veja mais atletas que participaram

passagem-Tocha-Olimpica-Londrina-1
Narrador Galvão Bueno ascende a pira Olímpica no aterro do lago Igapó em Londrina

A cidade de Londrina foi a primeira cidade do Paraná a receber a Tocha Olímpica Rio 2016. O narrador esportivo Galvão Bueno acendeu a pira olímpica, encerrando a passagem da tocha pela cidade e foi acompanhado por uma multidão. O percurso pelas ruas com o revezamento teve início no Centro Cívico. Ao todo, 65 pessoas conduziram o símbolo olímpico até o Lago Igapó, cartão postal da cidade.

passagem-Tocha-Olimpica-Londrina-2
Ex-jogador de vôlei Giba foi um dos condutores da Tocha

O primeiro a carregar a tocha olímpica foi o maratonista Edivino Correia. O maratonista disse que ficou muito emocionado por ter a oportunidade de levar o símbolo olímpico em suas mãos.

Medalhistas olímpicos também tiveram a oportunidade de carregar a tocha olímpica na cidade, como o jogador vôlei Giba, ouro com seleção masculina de vôlei em Atenas (2004), e Elisângela, bronze com a seleção feminina de vôlei em Sindney (2000), e Natália Falavigna, bronze no taekwondo em Pequim (2008).




 

É muito especial conduzir este símbolo na cidade onde eu conheci o vôlei. A chama Olímpica representa o legado brasileiro que vai ficar depois dos Jogos. Espero que ela nunca se apague e continue acesa no coração e na mente de todos os brasileiros e, assim, possamos fazer um país cada vez melhor por meio do esporte e da educação”, disse Giba.

O último a receber a tocha foi o narrador Galvão Bueno. Coube a ele, que mora há 16 anos na cidade, o papel de encerrar o revezamento da chama em Londrina e acender a pira olímpica no aterro do lago Igapó. Galvão considerou esse como um momento único na carreira, e destacou a importância do espírito olímpico.

 

passagem-Tocha-Olimpica-Londrina-3
Galvão chega com a Tocha Olímpica no aterro do lago Igapó

A chama olímpica, é um símbolo do esporte, é a lição que o esporte dá a cada quatro anos, ensinando ao mundo que é possível pessoas de credos e raças diferentes competir e conviver em paz. É o simbolismo da chama olímpica. Esse é um momento único na minha vida, Olimpíada é uma lição de vida para o mundo. É um momento para vermos que é possível competir e lutar em paz respeitando os direitos e as diferenças entre as nações” disse Galvão Bueno.

A passagem da tocha por Londrina ainda contou com mais nomes do jornalismo esportivo, como o repórter Tino Marcos e o ex-narrador Osmar Santos entre outros. A Tocha Olímpica segue para a cidade de Arapongas, também no Paraná.

 

>> Clique para ver mais notícias de esportes e atualidades Brasil e Mundo