Rio 2016: Comitê Olímpico Brasileiro dobra investimentos na delegação e espera número recorde de medalhas

O COB (Comitê Olímpico do Brasil) planeja dar um salto no número de medalhas nos Jogos Olímpicos 2016 (entre 5 e 21 de agosto no Rio) em relação às últimas edições do evento para terminar entre os 10 primeiros colocados na contagem geral.

Diferentemente da contagem tradicional, que contabiliza primeiro o número de medalhas de ouro depois as de prata e bronze, o COB (Comitê Olímpico do Brasil) leva em conta o total de medalhas. O comitê não confirma, mas seria uma forma de se precaver de uma possível jornada ruim dos brasileiros (como foi em Sydney 2000, quando o país não conquistou uma medalha de ouro sequer).

 




A delegação brasileira em Londres 2012, conquistou apenas 17 medalhas e ficou na 16ª posição geral na classificação pelo total conquistado. No modelo tradicional, porém, ficou em 22º lugar. O COI (Comitê Olímpico Internacional) não é responsável pela montagem do quadro de medalhas. Sua alegação é que estimularia um espírito de competição entre os países, não condizente com o objetivo dos Jogos.

De acordo com os estudos do COB, o país atingiria a meta caso conquistasse entre 24 e 27 medalhas ao todo. Com a maior delegação brasileira na história dos jogos (com cerca de 460 atletas classificados hoje), o investimento saltou dos US$ 350 milhões em Londres 2012 para US$ 600 milhões na Rio 2016 (R$ 1,9 bilhão). Nesse montante, entram investimentos diretos nos atletas, como o custeio de viagens, compra de material, contratação de treinadores estrangeiros, entre outras.

Arthur-Zanetti-ouro-Londres-2012
Ginasta Arthur Zanetti medalha de ouro em Londres 2012

Também entra na conta o que será gasto em infraestrutura para o Time Brasil durante os Jogos. O comitê utilizou sua estrutura para monitorar os 200 principais atletas de esportes individuais neste ciclo olímpico. Para atingir o objetivo, o país depende de um bom desempenho tanto em modalidades tradicionalmente vencedoras, como o vôlei e o judô, quanto de outras com resultados positivos recentes em provas internacionais (como a canoagem, com o campeão mundial Isaquias Queiroz), e a seleção feminina de handebol, campeã mundial em 2013.





Medalhas nas Olimpíadas Londres 2012

Ouro: 3
Seleção feminina de vôlei
Arthur Zanetti – argolas
Sarah Menezes – judô (categoria ligeiro, até 48 kg)

Prata: 5
Thiago Pereira – natação masculina (400 metros medley)
Dupla Alison e Emanuel – Vôlei de Praia
Esquiva Falcão – boxeador (categoria até 75 kg)
Seleção Brasileira de futebol masculino
Seleção brasileira de vôlei masculino

Bronze: 9
Felipe Kitadai – judoca (categoria até 60 kg)
Mayra Aguiar – judoca (categoria até 78 kg)
Rafael Silva – judoca (categoria acima dos 100 kg)
Yamaguchi Falcão – boxeador (categoria até 81 kg)
Adriana Araújo – boxeadora (até 60 kg)
Cesar Cielo – natação nos 50m livres
Robert Scheidt e Bruno Prada – Vela (classe Star)
Dupla Juliana e Larissa – Vôlei de Praia
Yane Marques – pentatlo moderno
O COB fez um raio-X com o que espera de cada modalidade

 

Clique na imagem para ampliá-la
desempenho-brasil-olimpiadas