Goleiro Cássio fala sobre o Corinthians e saída de Pato

Goleiro Cássio fala sobre sua permanência no Corinthians e saída de Pato
Goleiro quase foi para o futebol turco, mas negociações não avançaram e contrato segue até 2018

Com a saída de Ralf, o goleiro Cássio, que está no Corinthians desde 2012, se tornou o jogador há mais tempo no elenco. O atleta, que quase fez parte do desmanche (ele teve proposta do Besiktas (TUR), mas não houve acordo), ressaltou que o clube já passou por outros momentos de reconstrução, mas que sempre voltou a conquistar títulos. “Temos que ter um pouco de paciência, a cobrança aqui é muito grande. Perdemos alguns jogadores, é normal levar um tempo para encaixar, mas é jogo a jogo para ir evoluindo”, explicou o goleiro durante entrevista coletiva.

Cássio ressaltou o momento de crise vivido no ano passado, após a eliminação do Corinthians na Libertadores: “Da outra vez saíram três atacantes e entrou um muito criticado, que era o Vagner Love, mas que deu conta do recado. São momentos diferentes. Agora saíram nomes de quase todas as posições que eram líderes de grupo”, destacou Cássio, que elogiou as chegadas do meia-atacante Guilherme e do volante Willians.

Além de Ralf, outros quatro titulares deixaram a equipe: Vagner Love, Gil, Renato Augusto e Jadson. Por isso, Cássio quer que novos jogadores assumam uma postura de maior liderança no grupo de 2016.

O jogador também falou sobre a negociação com o futebol turco, que acabou encerrada por falta de acordo entre as partes. “Teve a proposta sim. Primeiro, o clube tinha de acertar minha venda para depois eu me acertar. A equipe do Besiktas não sinalizou com tudo o que havia prometido, e eu também não posso ficar esperando. Foi jogo aberto.
Não aconteceu, não fui pedir aumento e nem nada até porque estou no maior clube do Brasil”. Cássio garantiu que o episódio faz parte do passado e que está focado no Corinthians.

O goleiro também comentou sobre Alexandre Pato, que foi emprestado para o Chelsea por seis meses: “É difícil se manifestar, eu sempre me dei bem com ele fora de campo, mas é difícil falar dessas coisas, uns falam, outros não, espero que ele seja feliz, se ficasse aqui iríamos dar suporte. No vestiário sempre foi sorridente, de boa, nunca de cara amarrada. Mas de repente, ele não tem mais a cara do Corinthians. Não que ele não tenha raça, mas tem isso de dar carrinho, suar. Quem faz isso aqui no clube costuma ter muito sucesso”, disse Cássio, que tem contrato com o Corinthians até o final de 2018.