Milícia do sul do Iêmen diz que vai continuar a enfrentar houthis

O movimento de resistência do sul reune civis do sul, ex-militares e membros demovimento

24mar2015---manifestantes-anti-houthi-fogem-de-policiais-pro-houthi-que-abriram-fogo-na-tentativa-de-dispersar-o-protesto-contra-o-movimento-muculmano-xiita-em-taiz-no-sudoeste-do-iemen-as-tropas-da-1427200278599_956x500Milicianos no sul do Iêmen disseram na noite de terça-feira que vão continuar lutando contra rebeldes houthis, aliados do Irã, até expulsá-los da região, apesar de a Arábia Saudita ter anunciado que vai encerrar a campanha de ataques aéreos contra os insurgentes.

Houthis e combatentes da milícia entraram em confronto nas ruas da cidade de Áden, no sul do país, por grande parte da terça-feira, após o anúncio dos sauditas, disseram moradores à Reuters.

“O fim da Operação Tempestade Decisiva (liderada pelos sauditas) não significa que a resistência do sul vai terminar suas operações no terreno”, disse um comunicado do grupo.

“Esta frente não vai parar sua luta até que todo o sul esteja purificado dos houthis e das forças pró-Saleh”, acrescentou o texto.

O movimento de resistência do sul reune civis do sul, ex-militares e membros do movimento separatista do sul Herak contra os houthis, que estão lutando ao lado das tropas leais ao ex-presidente do Iêmen Ali Abdullah Saleh.

A Arábia Saudita anunciou na terça-feira que estava terminando uma campanha de ataques aéreos contra os rebeldes houthis que tomaram grandes áreas do Iêmen, e disse que iria apoiar uma solução política para trazer a paz ao seu vizinho devastado pela guerra.