Ataque terrorista em Paris que chocou o mundo; mais de 120 mortos e 350 feridos na França. Veja os detalhes

Atualizado em 14 de novembro 16h

 

Uma noite de terror que jamais será esquecida pelos franceses e pelo mundo. O pior ataque da história da França deixou 129 mortos e mais de 350 feridos em Paris nesta sexta-feira 13 de novembro de 2015. Os ataques se iniciaram por volta de 21h (horário de Brasília).

ataque-terrorista-em-paris-francaLocais dos ataques
Ao menos cinco locais foram alvo de ataques simultâneos em uma região boêmia de Paris.Na casa de shows Bataclan, atiradores fizeram reféns e abriram fogo contra o público que assistia ao show da banda Eagles of Death Metal. Mais de 70 reféns foram mortos.

No bar Le Carillon e no restaurante Le Petit Cambodge, frequentadores foram mortos por disparos. Segundo agências internacionais, foram 14 mortos. No bar La Belle Equipe, atiradores abriram fogo contra os clientes. Ao menos dezenove pessoas foram mortas e há outras 13 feridas.

A polícia relatou ao menos duas explosões nas proximidades do estádio Stade de France- Foto Michel Euler
A polícia relatou ao menos duas explosões nas proximidades do estádio Stade de France- Foto Michel Euler

Nas proximidades do Stade de France, no norte de Paris, pelo menos duas explosões aconteceram no lado de fora  onde França e Alemanha disputavam uma partida de futebol. Autoridades confirmaram quatro mortos e mais de 50 feridos.

De quem é a autoria dos ataques? O grupo radical Estado Islâmico reivindicou a responsabilidade neste sábado (14) por ataques que mataram mais de 120 pessoas em Paris, Em uma declaração oficial, o grupo disse que seus combatentes presos a cintos com explosivos e carregando metralhadoras realizaram os ataques em vários locais no centro da capital francesa que foram cuidadosamente estudados. Antes, o presidente da França François Hollande já havia anunciado que o grupo era o autor da ação terrorista.

Brasileiros feridos
Os dois brasileiros – um homem e uma mulher – feridos nos ataques de Paris na noite desta sexta estão fora de risco, e passam bem. segundo informou a cônsul-geral do Brasil na França, Maria Edileuza Fontenele. Eles estavam no restaurante Le Petit Cambodge, um dos locais onde ocorreram tiroteios.

Telefone de informações para brasileiros na França
O Consulado-Geral do Brasil em Paris, na França, divulgou um número de emergência para brasileiros que precisem de apoio ou de informações no país. O telefone é +33 6 80 12 32 34.

ataque-franca-terrorismo-paris-torre-eiffelFrança em estado de emergência.

O exército francês patrulhará as ruas de Paris nos próximos dias para evitar novos atentados, anunciou o presidente François Hollande. “As forças de segurança e o exército, a quem agradeço sua atuação ontem, estão mobilizadas ao maior nível de suas possibilidades”, disse Hollande.

Seis mil agentes vistoriam fronteiras e aeroportos. A polícia emitiu um alerta, pedindo que os parisienses não deixem suas casas, “a não ser em caso de absoluta necessidade”. Lugares públicos devem reforçar a segurança nas entradas e acolher aqueles que estiverem em necessidade. A polícia também ordenou que se interrompam as manifestações e eventos em áreas externas. Em Paris, os hospitais entraram em “Plano Branco”, um estado de emergência e crise, segundo o “Le Monde”. Cinco linhas de metrô tiveram seus serviços interrompidos.

ataque-paris-preseidente-franca-francois-hollandeDeclaração do Presidente da França
François Hollande disse neste sábado(14-nov), em uma declaração à nação, que os atentados da noite de sexta em Paris “são um ato de guerra do Estado Islâmico contra a França”. Além disso, Hollande afirmou que os ataques foram organizados “no exterior da França” e que contaram com “cúmplices no interior” do país.

 

 

papa-francisco-fala-sobre-ataque-na-francaDeclaração do Papa Francisco
O Papa Francisco disse neste sábado (14-nov) que os atentados terroristas de Paris “não têm justificação religiosa ou humana”. “Isto não é humano”, destacou o papa em declaração ao canal de televisão TV200, da Conferência Episcopal Italiana.

“Estou comovido… Não entendo essas coisas feitas por seres humanos. Por isso, estou comovido e rezo”, acrescentou Francisco por telefone.”Sinto-me muito próximo do povo francês, tão amado. Estou próximo dos familiares das vítimas e rezo por todos eles.”

Declaração de líderes mundiais
Barack Obama, presidente dos EUA, disse em entrevista na Casa Branca: “Esse é uma ataque não apenas contra Paris e o povo da França. É um ataque contra a humanidade e os valores que compartilhamos (…) Aqueles que acham que podem aterrorizar o povo da França e os valores que eles representam estão errados”.

A presidente Dilma Rousseff disse que está “consternada pela barbárie terrorista”. “Expresso meu repúdio à violência e manifesto minha solidariedade ao povo e ao governo francês”. Por meio de nota, o Itamaraty também manifestou a “profunda consternação” do governo brasileiro, transmitiu condolências aos familiares de vítimas e declarou solidariedade ao povo francês e ao Governo da França.

Estado Islâmico reivindica ataques em Paris que mataram mais de 120 pessoas
Em comunicado, o grupo radical Estado Islâmico disse que os ataques foram cuidadosamente planejados.
“Alá (…) lançou o terror contra seu coração”, diz a grupo, que chama Paris de “a capital da abominação e da perversão”.”Paris tremeu sob seus pés [dos terroristas].”

A nota termina com um alerta de que “este não é nada mais do que o começo de uma tempestade e uma advertência para aqueles que queiram meditar e tirar suas conclusões”.

Ação da Polícia Francesa nos ataques
A polícia invadiu a casa de shows Bataclan às 21h40 (horário de Brasília), após relatos de que pessoas estariam sendo executadas. Dois terroristas foram mortos na ação. Dez minutos antes da invasão, a Reuters afirmava que haviam sido ouvidas cinco explosões perto do local.

Por volta da 1h30 (22h30, em Brasília), o presidente francês François Hollande chegou ao local, onde permaneceu por cerca de meia hora. “Há muitos feridos, feridos graves, feridos chocados com o que viram”, disse o presidente, naquele momento, ao justificar porque quis ir ao local.

“Quando os terroristas estão dispostos a cometer tais atrocidades, eles devem saber que irão encarar uma França determinada”, acrescentou. “Iremos conduzir a luta (contra os terroristas), e ela será implacável”, garantiu. A casa fica no boulevard Voltaire, no 11º arrondissement, tem capacidade para 1.500 pessoas e era palco de um show da banda Eagles of the Death Metal.

O vice-prefeito de Paris, Patrick Krugman, afirmou que vários ataques aconteceram ao mesmo tempo. Ele disse que houve “entre seis e sete locais de ataques no centro de Paris e fora.

É um ato de guerra que foi cometido por um exército terrorista, um exército jihadista, o Daesh, contra a França”, disse Hollande, usando a sigla em árabe para o Estado Islâmico. “É um ato de guerra que foi preparado, organizado e planejado no exterior, com cumplicidade de dentro da França.”

A declaração do presidente francês ocorreu após uma reunião do Conselho de Defesa com vários integrantes de seu governo para analisar a série de atentados. Na segunda-feira, ele fará um pronunciamento no Parlamento. Hollande prometeu uma resposta “implacável” aos atos de terror e decretou três dias de luto nacional.

“Faço uma homenagem aos defensores do país, que lutaram contra os terroristas ontem”, disse. “Todo mundo deu o seu máximo e fará seu máximo esforço nos próximos dias.” Hollande chamou os ataques de “covardes”.

“Neste momento de seriedade e incerteza, clamo por unidade e coragem”, afirmou. Mas “mesmo que a França esteja ferida, ela prevalecerá.”