Atentado durante carreata política em Itumbiara em Goiás deixa pessoas três mortas entre elas o candidato a prefeito

carreata-jose-gomes-da-rocha
José Rocha de camisa vermelha acena pouco antes de ser atingido por atirador

Um atentado a tiros no fim da tarde de quarta-feira (28-set) provocou a morte do candidato à Prefeito de Itumbiara na região sul de Goiás, José Gomes da Rocha (PTB) de 58 anos e feriu o governador em exercício José Eliton (PSDB). Os políticos participavam de uma carreata de campanha quando foram abordados por um homem que desceu de um carro atirando e atingindo quatro pessoas. Zé Rocha, como era conhecido era favorito para as eleições de domingo com 78% das intenções de votos.




O deputado federal Jovair Arantes (PTB) que também estava no local disse que o atirador estava sozinho em um carro que seguia na pista contrária à do comboio “Todo mundo achou que iria pegar na mão do Zé quando ele se aproximou, mas de repente, ele sacou uma pistola automática e começou a atirar em todas as direções. Graças a Deus que um segurança da responsabilidade da vice-governadoria estava presente e matou o atirador“, afirmou Jovair.

No atentado morreram Zé Rocha, o cabo da PM Vanilson João Pereira, de 36 anos (que fazia a segurança de José Gomes) e o atirador identificado como Gilberto Ferreira do Amaral, de 53 anos que era auxiliar de serviços gerais da secretaria municipal de saúde que foi morto por outros seguranças da comitiva política.

Um assessor da prefeitura levou um tiro de raspão, sem gravidade. José Eliton, que também é secretário de Segurança Pública do Estado, levou dois tiros no abdômen e foi levado de helicóptero para o Hospital de Urgências Governador Otávio Lage de Siqueira (Hugol), em Goiânia, onde passou por uma cirurgia.

Segundo a assessoria do hospital o governador em exercício tem estado de saúde estável e não precisa mais de respirar por ajuda de aparelho.

Zé Rocha foi prefeito de Itumbiara, cidade com pouco mais de 100 mil habitantes de 2005 a 2012 e tentava o terceiro mandato. Em 2013, Rocha foi nomeado presidente da Saneago (Companhia de Saneamento de Goiás). A estatal é alvo da operação Decantação da Polícia Federal que investiga um esquema de desvio de R$ 4,5 milhões.

atentado-candidato-prefeito-de-itumbiara-go
Segurança cai após troca de tiros contra atirador que disparou vários tiros contra políticos

Em viagem oficial pelo Canadá e Estados Unidos desde 19 de setembro, o governador de Goiás, Marconi Perillo (PSDB) cancelou todos os compromissos e antecipou o retorno ao Brasil, previsto apenas para sábado. “Foi um ato de barbárie política. Violência, vingança, rancor e ódio não podem ferir ou matar a democracia”, afirmou, em nota o governador.

jose-gomes-da-rocha
José Gomes da Rocha

Trajetória política
José Gomes da Rocha, começou sua carreira política bem cedo, aos 18 anos, quando se tornou vereador em Itumbiara, sua cidade natal, e o mais jovem no cargo no Brasil. O candidato esteve na Câmara local por duas legislaturas, e depois ascendeu a outros cargos: foi deputado federal por quatro mandatos, entre 1989 e 2003, em seguida, elegeu-se deputado estadual. Zé Gomes ainda foi coordenador regional da campanha de Fernando Collor (então no PTC) em 1989.

A primeira passagem pela prefeitura da cidade goiana foi iniciada na eleição de 2004, quando, então no PMDB, foi eleito com pouco mais de 65% dos votos válidos. Já no PP, o político foi reeleito em 2008 para um novo mandato, com 84,4% dos votos.

Seu prestígio ainda foi suficiente para eleger seu então vice, o atual prefeito Chico Balla (PTB), com 59,32% dos votos. Nesta eleição, buscava retomar o comando da cidade e, segundo a imprensa goiana, despontava como favorito e fazia campanha de “carreata da vitória”.

 

Apuração do atentado
O atirador que não tinha passagem pela polícia havia ganho um processo contra a Prefeitura de Itumbiara, além de uma indenização em torno de R$ 12 mil. Na época, o prefeito em exercício era José Gomes, morto pelo atirador que era servidor da Secretaria Municipal de Saúde do município e trabalhava como motorista. O servidor público alegava erro no cálculo das horas extras no período de maio de 2009 até março de 2013. A sentença do processo saiu no dia 26 de agosto deste ano e foi favorável ao atirador.