Michel Temer lança programa social para acompanhar crianças até 3 anos; Marcela Temer é embaixadora

michel-temer-e-esposa-marcela-temer

Nesta quarta-feira (05/10) o presidente Michel Temer lançou no Palácio do Planalto o programa social Criança Feliz que tem como foco crianças de até 3 anos de idade cujas famílias são beneficiárias do Bolsa Família, programa social herdado dos governos do PT. A
primeira-dama Marcela Temer será embaixadora do programa. Ela participou do lançamento e pouco habituada a eventos públicos, fez um discurso de três minutos.

Marcela disse que o trabalho dela será “sensibilizar” a sociedade para ações que possam “melhorar a vida das pessoas” e ressaltou que trabalhará de forma voluntária. O Criança Feliz terá como alvo crianças pobres do Bolsa Família. Como embaixadora do Criança Feliz, caberá à primeira-dama divulgar o programa e promover eventos e reuniões.O ministro do Desenvolvimento Social e Agrário, Osmar Terra disse que Marcela vai atuar em atividades de divulgação do programa. “A primeira-dama não vai ter nenhuma função executiva, não vai ter gabinete. Vai colaborar voluntariamente com a divulgação do programa”, disse.

programa-social-marcela-temer“Quem ajuda aos outros, muda a história de vida. Por isso, fico feliz em colaborar em causas sociais do país. Cada brasileiro, desde a gestação, importa para o desenvolvimento do Brasil. Nossas responsabilidades aumentam a cada dia, e os desafios também. Meu trabalho será voluntário, para mobilizar e sensibilizar a sociedade em torno de ações para melhoria na vida das pessoas”, disse a primeira-dama. Marcela abordou os cuidados na primeira infância e afirmou que uma criança que, desde o início da vida, recebe o tratamento adequado, tem mais chances de ter um desenvolvimento saudável nos anos seguintes.

Logo após a fala de Marcela, o presidente Michel Temer fez um discurso. Ele afirmou que o Criança Feliz é uma ação para os setores mais frágeis da população que, segundo ele, precisam de mais auxílio do Estado. Temer afirmou que a escolha de Marcela como embaixadora visa “incentivar” as mulheres do país a aderir ao programa.




O ministro do Desenvolvimento Social e Agrário, Osmar Terra, disse que pelo novo programa, crianças de zero a três anos beneficiárias do Bolsa Família contarão com visitas domiciliares. O Criança Feliz foi inspirado em ações que existem em outros estados, como Rio Grande do Sul (Primeira Infância Melhor) e Pernambuco (Mãe Coruja).

Osmar Terra explicou que serão formadas novas equipes para atuar no Criança Feliz: o visitador, que pode ser professor, enfermeira ou técnico em enfermagem (precisa ter o ensino médio completo); o supervisor — que acompanhará o trabalho dos visitadores — e o
multiplicador, que ficará responsável pela capacitação das equipes. Os dois primeiros serão funcionários das prefeituras e o terceiro, do estado cuja adesão é voluntária.

O programa coordenado pelo Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário (MDS) terá um aporte inicial de R$ 300 milhões. A iniciativa, de acordo com o governo, terá o objetivo de fortalecer políticas públicas para a primeira infância. A meta do Executivo federal é atender mais de 4 milhões de crianças em todo o país até 2018.




A ajuda às crianças beneficiadas pelo programa não será financeira, mas se dará por meio de visitas semanais de especialistas na residência das famílias atendidas, com ações de orientação aos pais, alertar para datas de vacinações, sobre a importância de pesar as
crianças e outras atividades. Todas as ações visam reduzir o baixo desenvolvimento e a mortalidade infantil. A participação das famílias no programa está condicionada à manutenção atualizada do cadastro único, principalmente quando há grávidas e crianças de até 3 anos na família. De acordo com o ministério, o projeto vai contar com a ajuda multidisciplinar de centros de referência de assistência social, escolas e pedagogos.