Receita Federal começa a receber declaração do Imposto de Renda 2019, agora CPF de dependente será obrigatório

Prazo de entrega termina no dia 30 de abril. Ao todo, 30,5 milhões de declarações são esperadas

A Receita Federal começou a receber nesta quinta-feira (7-mar) as declarações do Imposto de Renda 2019. Neste ano, 30,5 milhões de contribuintes devem declarar o IR. O prazo para envio, que vai até 30 de abril, será mais curto. Normalmente, a entrega dos documentos tem início no primeiro dia útil de março, com dois meses para o contribuinte fazer a declaração.



A multa por atraso é de no mínimo R$ 165,74 e no máximo 20% do imposto devido. Os primeiros dias são os mais interessantes para o envio por dois motivos. Quem entrega o material com antecedência receberá sua restituição antes. Além disso, em caso de problemas, o contribuinte terá tempo para resolvê-los, evitando a necessidade de realizar uma declaração retificadora, depois do prazo de entrega.

Em 2018, 628 mil contribuintes caíram na malha fina. As principais razões pelas quais as declarações ficaram retidas foram: omissão de rendimentos do titular ou seus dependentes (379.547) e divergências entre o imposto retido na fonte declarado pelo contribuinte e o informado pelas empresas, com 183.274 casos. Em seguida aparecem informações erradas sobre despesas médicas (163.594 declarações) e dedução de previdência oficial ou privada, dependentes, pensão alimentícia e outras (128.536).

Novidades
Uma das mudanças em 2019 é que se torna obrigatório informar o CPF de todos os dependentes. No ano passado, o CPF passou a ser necessário para dependentes a partir de 8 anos. Os contribuintes ainda não serão obrigados a informar detalhes sobre imóveis e veículos, como número de matrícula, IPTU e Renavam. Em 2018, o Fisco anunciou que o preenchimento seria obrigatório a partir de 2019. Essa mudança, no entanto, foi adiada para 2020.