Alunos do 6º ao 9º ano da rede pública passam a ter 15 minutos a mais de aula por dia 2020, período de férias teve alteração

Nova carga horária e novos períodos de férias entram em vigor a partir de 2020

A partir de 2020, cerca de 2 milhões do total dos 5 milhões de estudantes matriculados do 6º ao 9º ano do ensino fundamental e no médio na rede estadual terão sete aulas de 45 minutos e novas disciplinas, para “conectar a escola ao jovem do século 21”. Atualmente, são seis aulas de 50 minutos. A grade vai ganhar uma aula a mais e um aumento na carga horária de 15 minutos por dia.



Quando estiver em vigor, os estudantes do período matutino passam a sair da escola às 12h35 (não mais às 12h20). No período vespertino, a saída passará a ser às 18h35 (atualmente às 18h20). O governo paulista informou que pretende investir cerca de R$ 250 milhões na organização e contratação de professores.

Os alunos também terão mais 4 disciplinas no currículo. Uma delas é chamada de “projeto de vida”, com atividades para buscar objetivos e sonhos e desenvolver cidadania e ética, e uma outra só sobre tecnologia. Além dessas duas, os alunos vão poder escolher mais duas disciplinas eletivas, como empreendedorismo, teatro, entre outras.

A Secretaria Estadual da Educação deve disponibilizar uma espécie de “cardápio” com sugestões de temas a partir do levantamento de experiências de sucesso da rede. A presidente da Apeoesp (Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo), Maria Izabel Azevedo Noronha, vê com ressalvas o projeto de um “Feirão de Eletivas”, a ser realizado no início do ano. Para ela, “isso é abominável”. “Educação não tem cardápio, tem plano pedagógico, um conjunto organizado de componentes curriculares dialogando para produzir o conhecimento.”

Férias
A partir do ano que vem, alunos e professores das escolas estaduais terão quatro períodos de férias:
– Uma semana em abril
– Duas semanas em julho
– Uma semana em outubro
– 30 dias entre dezembro e janeiro

As principais mudanças são a redução do período de férias de julho de 30 para 15 dias, e a oficialização de duas semanas de recesso, em abril e outubro. Atualmente, o calendário da rede estadual prevê dois períodos de férias de meados de dezembro a 31 de janeiro e de 28 de junho a 30 de julho.

Segundo o governo, a mudança não representa aumento nem diminuição do período de férias nem de recesso, mas uma redistribuição. Estão garantidos os 200 dias letivos previstos por lei.

Outro anúncio foi o programa “Minha Escola”, em parceria com o Instituto Ayrton Senna, que vai implementar, ainda neste ano, a nova proposta em 24 escolas. O instituto auxiliará com a experiência no desenvolvimento de habilidades socioemocionais, como garra, responsabilidade e trabalho em equipe, e com base em evidências científicas. As 24 escolas serão coautoras do modelo que auxiliará a implementação do Inova Educação em toda a rede estadual.