Edson Moura Junior é cassado pela 5ª vez em Paulínia

seta-voltar-paulinia

Pela quinta vez, prefeito de Paulínia, Edson Moura Júnior (PMDB), é cassado pela Justiça Eleitoral de SP. É o prefeito mais cassado em uma única gestão no país.

A decisão foi publicada nesta quinta-feira (04) no Diário da Justiça e por ser em primeira instância, o político poderá novamente recorrer ao Tribunal Regional Eleitoral.

Desta vez, o PRTB é o autor da ação, que alegou fraude nas eleições municipais, devido à troca do então candidato Edson Moura (PMDB) por seu filho, Edson Moura Júnior, na véspera do pleito. “Edson Moura era sabidamente inelegível, mas, mesmo assim, os partidos coligados mantiveram a sua candidatura até depois das 18h da véspera do pleito, com intuito de macular a vontade livre e consciente do eleitor, culminando na eleição do filho”, sustentou o PRTB.

Em sua decisão, a juíza Eleitoral de Paulínia Marta Brandão Pistelli julgou procedente a presente ação de impugnação de mandato eletivo movida pelo PRTB e determinou a cassação dos mandatos eletivos de Edson Moura Junior e do seu vice, Francisco Bonavita Barros (PTB). Decretou, ainda, a inelegibilidade dos políticos por oito anos.

Moura Júnior deixou a Prefeitura, após notificação. Na decisão, a juíza determinou que o presidente da Câmara, Marquinho Fiorella (PP), assumisse novamente e pela terceira vez a cadeira do Executivo.

Será a segunda vez em uma semana que haverá troca de prefeitos na cidade. Na última segunda-feira,Edson Moura Júnior teve que deixar a Prefeitura após publicação da decisão do TRE que cassou seu mandato, em outro processo que é réu. Fiorella assumiu o cargo, mas no dia seguinte, Moura Júnior foi reconduzido à Prefeitura. Sua defesa entrou com embargos de declaração (que questiona a decisão do TRE) e conseguiu um recurso que garantiu o retorno ao Executivo até o julgamento dos embargos. Edson Moura Júnior responde a vários processos na Justiça que pedem sua cassação, impetrados por políticos e partidos.

O advogado do PRTB e do ex-prefeito José Pavan Junior (PSB), Marcelo Pelegrini afirmou que irá pedir na Justiça para que Pavan (segundo colocado nas eleições de Paulínia), assuma a Prefeitura o mais rápido possível e assim colocando final à histórica sucessão de prefeito em um mesmo mandato na cidade.

Moradores, situação, oposição, grupos políticos e pessoas formadoras de opinião pedem que a justiça chegue a um consenso e coloque um ponto final nesta sucessão de trocas de prefeitos e que a cidade retorno ao seu ritmo normal, uma vez que comercio e negócios foram afetados com a instabilidade política.