Motoristas de vans escolares de Campinas realizaram protesto contra o uso de cadeirinhas

vans-escolares-campinasOs motoristas de vans escolares de Campinas realizaram na manhã desta quarta-feira (1º) um protesto contra o uso da cadeirinha, que a partir de agora será obrigatória por determinação federal. Segundo o Sindicato dos Transportadores Escolas de Campinas e região (Intescamp), a categoria vai tentar uma reunião com o prefeito Jonas Donizette (PSB) nesta quarta-feira.

Uso obrigatório das cadeirinhas
A medida que obriga veículos de transporte escolar a ter cadeirinha para transporte de crianças de até 7 anos e meio passou a valer desde fevereiro deste ano. E desde 2010, a lei obriga que crianças de até 1 ano sejam transportadas no bebê-conforto. As que têm entre 1 e 4 anos, em cadeirinhas com encosto e cinto próprio.

Os assentos de elevação, que utilizam cinto de segurança que ficam na altura do pescoço da criança, devem ser usados para menores de 4 a 7 anos. Até então, a regra valia para carros de passeio, e não para transporte coletivo, como vans e ônibus, de aluguel, táxis e os demais com peso bruto superior a 3,5 t.

Os transportadores escolares argumentam que, por atender crianças de várias idades, não haveria espaço nos veículos para guardar as cadeirinhas quando elas não estão em uso. Previam ainda aumento de custo dos serviços.

Segundo a categoria, existem vários empecilhos que dificultam a implantação da medida. Um deles é o fato de os veículos saírem de fábrica com cinto de dois pontos, e não de três. Continuarão desobrigados de oferecer cadeirinha vans e ônibus que não sejam de transporte escolar e táxis.