Greve em agências do INSS já dura mais de dois meses nas cidades da região

seta-voltar-pedreira

Greve em agências do INSS já dura mais de dois meses nas cidades da regiãoA greve silenciosa do INSS chama a atenção pela falta de manifestação por parte de funcionários e sindicato, a mobilização que completou 67 dias nesta sexta-feira (11) atinge principalmente a agência central em Campinas.

Na região, segundo a diretoria regional do Sindicato dos Trabalhadores em Saúde e Previdência do estado (SinsPrev), a situação é de doze agências com serviços interrompidos, nove funcionando parcialmente e duas abertas, em Cosmópolis e Hortolândia.

Além das agências de Campinas, as unidades de Valinhos, Pedreira, Santa Bárbara D’Oeste e Sumaré, também estão com serviços interrompidos.

Já as agências de Nova Odessa, Indaiatuba e Americana, estão realizando apenas perícias e serviços administrativos que já estavam agendados. As demais atividades não são realizadas.

Negociações
O SinsPrev informou que em assembleia estadual dos servidores realizada no inicio de setembro que os servidores rejeitaram a proposta do governo e resolverem pela continuidade da greve.

INSS
De acordo com a Previdência Social, as agências de Campinas têm 60 médicos peritos, que realizam em média 440 perícias diárias. E informou que os profissionais dividem o tempo de atividade na realização de exames médico-periciais e na análise de processos de aposentadoria especial, recursos, entre outros serviços.