Temporal na região de Campinas causa susto nos moradores e estragos pelas cidades

Temporal na região de Campinas causa susto nos moradores e estragos pelas cidades
A POPULAÇÃO DE PAULÍNIA TEVE A SENSAÇÃO DE ESTAR ACONTECENDO UM ‘TORNADO’

Um forte temporal atingiu a região de Campinas no fim da tarde desta terça-feira (08 de setembro). Houve um grande volume de chuvas, interrupção no abastecimento de energia elétrica e vários pontos de alagamento e congestionamentos em ruas e avenidas.

Os ventos chegaram a 98,3km/h, segundo o Centro de Pesquisas Meterológicas e Climáticas Aplicadas à Agricultura (Cepagri) da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). No Aeroporto de Viracopos, uma estrutura que cobria a entrada e saída de um dos estacionamentos cedeu com a ventania, mas ninguém ficou ferido.

Temporal na região de Campinas causa susto nos moradores e estragos pelas cidades
TEMPORAL NA REGIÃO DE CAMPINAS CAUSA SUSTO NOS MORADORES E ESTRAGOS PELAS CIDADES

A Prefeitura de Campinas mobilizou 150 homens da Secretaria de Serviços Públicos, para a limpeza e organização da cidade. A expectativa é remover 100 toneladas de material. O trabalho deve durar entre três e quatro dias.

Durante toda a terça-feira, foram registrados 79 milímetros de chuvas, volume superior aos 65 milímetros esperados para todo o mês de setembro, segundo a Defesa Civil de Campinas, com ventos de até 98 quilômetros por hora. Há dois anos, Campinas não registrava um temporal com esta intensidade. Foram 128 solicitações para remoção de árvores, não houve vítimas.

Temporal na região de Campinas causa susto nos moradores e estragos pelas cidades
RODOVIA ZEFFERINO VAZ EM PAULÍNIA, ACESSO PARA O BAIRRO BETEL

Em Paulínia a população registrou a sensação de ‘tornado’ com fortes ventos e chuva, além da queda de energia em vários pontos da cidade. A capitação acima de Paulínia no Rio Atibaia está em estado de atenção pois pode transbordar. A abertura de comportas ocorre com 3,70m o que pode acontecer ainda nesta quarta-feira (9), poi o nível pela manhã  era de 2,80m e há previsão de mais chuvas para o período da tarde. Especialistas do Cepagri informam que ventos acima de 90 km/h não são comuns. Mas para ser considerado tornado é necessário que a velocidade seja de pelo menos 112 km/h.

Além de causar estragos em diversas cidades, o temporal na tarde desta terça-feira deixou pelo menos 274 mil clientes da Companhia Paulista de Força e Luz (CPFL) sem energia na região. Segundo a empresa, raios e vento danificaram a rede elétrica e os municípios mais afetados foram Campinas, Americana e Sumaré e os  problemas relacionados ao temporal também foram registrados em Vinhedo, Paulínia e Indaiatuba.

Temporal na região de Campinas causa susto nos moradores e estragos pelas cidades
AVENIDA ALAGADA EM PIRACICABA

Segundo a Defesa Civil de Indaiatuba, na cidade também foram registradas quedas de árvores. A chuva também causou pontos de alagamento em Americana e Piracicaba. Em Valinhos de acordo com a Defesa Civil, houve o registro de queda de 8 árvores, na maioria em vias públicas, mas sem vítimas

Estado de Atenção
Por conta do alto índice pluviométrico, nove cidades da região estão em estado de atenção: Campinas, Sumaré, Pinhalzinho, Limeira, Monte Mor, Pedreira, Amparo, Bragança Paulista e Atibaia. A classificação de Estado de Atenção ocorre por conta do risco de deslizamento de terra.

Boas notícias
A chuva de 79,7 milímetros registrada nas últimas 72 horas em Campinas elevou consideravelmente a vazão do Rio Atibaia, responsável por 95% do abastecimento na cidade. Na manhã desta quarta-feira (9), os medidores oficiais atingiram a marca de 36,49 metros por segundo, segunda maior vazão do ano.

O volume de chuvas aumentou em 6x a vazão do Rio Piracicaba que era de 37 metros cúbicos por segundo e agora está com 230 metros cúbicos por segundo. A Represa João Antunes que fica em Vinhedo e abastece toda a cidade de Valinhos estava praticamente seca com vazão de 26 litros por segundo e de de acordo com o Departamento de água e esgoto agora está 6 vezes maior com 156 litros por segundo.

As fortes chuvas do final da tarde e início da noite de terça-feira melhoraram os níveis dos rios na região de Campinas e dos reservatórios, porém ainda há necessidade de economia de água. Os volumes totais de chuva para restabelecer a normalidade ainda não foram atingidos, apesar da leve recuperação o Rio Atibaia permanece abaixo da média esperada para o mês de setembro

Veja a previsão do tempo com fonte do Cepagri- Unicamp/ Campinas