Hortolândia ganha segunda entidade de apoio ao 3º setor

seta-voltar-hortolandia
Hortolândia ganhou mais uma entidade de apoio às ONGs (Organizações Não Governamentais). É a FETESH (Federação das Entidades do 3º Setor de Hortolândia), criada em cerimônia realizada em 27/10 , na Belgo Bekaert Arames, da qual participaram o prefeito Antonio Meira, a deputada federal Ana Perugini, o Monsenhor Décio Ravalignani, secretários municipais, vereadores, empresários e representantes de entidades do 3º setor. Na ocasião, foram anunciados os membros da diretoria e as ações que serão desenvolvidas pela Federação.

O objetivo é assessorar entidades do 3º setor do município filiadas e fazer a ponte entre estas e o empresariado, com base na Lei 12.101, de 2009.

Aquelas que desejam se filiar devem desenvolver projetos voltados à educação, assistência social, saúde, esporte e cultura. O município já conta com o Cafe (Centro de Apoio e Fortalecimento às Entidades), órgão da Secretaria de Inclusão e Desenvolvimento Social da Prefeitura. Atualmente, possui 18 entidades cadastradas. O Centro realiza o monitoramento e avaliação dos serviços socioassistenciais, com o objetivo de agilizar os atendimentos e as demandas geradas pelos munícipes frequentadores das entidades, nas áreas de educação, saúde e inclusão social.

Integração
Por meio de treinamentos e campanhas, a FETESH permitirá a integração entre empresas que buscam projetos sociais para investir e entidades que procuram investimentos para suas ações. Nesse ciclo de parceria, a ideia é que a empresa adquira mais confiança junto ao mercado e à população, e a ONG ganhe credibilidade e consistência em seus projetos.

Tânia Amaro, presidente da FETESH, disse que a criação da Federação marca uma nova etapa para as entidades, rumo ao trabalho e ao desenvolvimento de projetos que beneficiam a sociedade.

A Federação já conta com dois projetos. O primeiro, intitulado “Ocupação Hortolândia”, tem aprovação da Lei Rouanet. A Federação selecionará 10 entidades, através de chamado público, para desenvolver atividades relacionadas à música, dança, teatro e cinema. Estas entidades passarão por capacitação, com oficinas técnicas, para gerir seus projetos, tornando-os atrativos para que empresas patrocinem, por meio de renúncia fiscal. O segundo projeto é a criação da Campanha de Fomento da Nota Fiscal Paulista. A iniciativa visa envolver a sociedade civil de modo a aumentar a doação de cupons da nota fiscal paulista para as entidades sociais.