Ministério Público pede ações para evitar superlotação em escolas de Campinas

seta-voltar-campinas

Ministério Público pede ações para evitar superlotação em escolas de CampinasO promotoria de Justiça da Infância e Juventude de Campinas, deu prazo de 10 dias para que as diretorias regionais de ensino expliquem como será feita na cidade, a reorganização do Ensino Fundamental e Médio que está sendo implementado pela Secretaria Estadual da Educação. Em ofício, a promotoria pergunta aos diretores sobre os objetivos pretendidos com a reorganização; quais as escolas e séries serão atingidas e para onde os alunos serão remanejados.

A promotoria quer saber se o remanejamento vai implicar em superlotação de salas de aula e, se isso se confirmar, o que será feito para resolver o problema e se o remanejamento vai implicar no deslocamento dos alunos a uma distância superior a 2 Km de suas residências, caso isso ocorra, a promotoria quer saber se o estado vai providenciar transporte para os alunos. Na sexta-feira (13-nov), estudantes de Campinas fizeram manifestação contra a reorganização e ameaçaram ocupar escolas.