Petroleiros da Petrobras de Paulínia entram em greve contra privatização

seta-voltar-paulinia

Petroleiros da Petrobras de Paulínia entram em greve contra privatização
Empresa passa por seu pior momento econômico após escândalos envolvendo altos funcionários e desvios de dinheiro

Funcionários da Petrobras de Paulínia (Replan) entraram em greve no domingo (1º-nov). O movimento faz parte da greve nacional dos petroleiros, que é por tempo indeterminado. Segundo o Sindicato dos Petroleiros os trabalhadores que entraram na empresa às 7h de domingo e deveriam ter saído às 15h precisaram ficar na empresa até as 11h de segunda-feira (2), .

Os petroleiros fazem o ato para a não privatização na Petrobras e pedem a manutenção dos empregos e a garantia de condições seguras no trabalho. A Petrobrás ficou de emitir uma nota sobre o posicionamento da greve.

O início da greve aconteceu na troca de turno das 15h, de domingo, e a adesão dos trabalhadores foi de 100%. Um debate com os funcionários e uma tentativa de negociação para que houvesse trocas controladas de turno foram feitos, sem sucesso, segundo a entidade. Cerca de 70 trabalhadores não entraram na empresa no horário previsto.

Os sindicalistas informaram que fizeram plantão durante a noite para impedir a troca de turno da meia-noite e também das 7h de segunda-feira (2). Um novo ato está previsto para esta terça-feira (3).