Material escolar pode subir até 30% para o Volta às aulas 2016

 Material escolar pode subir até 30%, segundo fabricantes
Inflação e alta carga tributária contribuem para preços altos em qualquer época do ano

Nos últimos 12 meses, o preço do material escolar sofreu aumento médio de 10%, e, para 2016, a expectativa é de que esta mesma elevação se mantenha, também na média, podendo chegar a até 30%, dependendo do artigo (como é o caso de mochilas importadas). A previsão vem dos próprios fabricantes. “Por conta da desvalorização do real, do aumento dos insumos e da mão de obra, os artigos de papelaria estão mais caros”, diz o presidente da Abfiae (Associação Brasileira dos Fabricantes e Importadores de Artigos Escolares e de Escritório, Rubens Passos.

Segundo ele, os produtos fabricados no país, como caneta, borracha e massa escolar, podem ter um aumento de até 12% e que os produtos importados, como mochilas, lancheiras e estojos, terão aumento de 20% até 30%. “Nossa dica é para que os pais façam pesquisas de preços e antecipem a compra de materiais o mais que puderem.”
A maior dúvida é como economizar sem ter que abrir mão de obter os itens de que as crianças necessitam.

O primeiro passo é realizar um diagnóstico da vida financeira da família, para saber exatamente quais são os ganhos e gastos mensais e quanto poderá dispor para a aquisição do material escolar”, diz o educador financeiro Cláudio Mello. “É fundamental ir às compras com antecedência para não precisar ser obrigado a pagar mais caro na última hora.” “Em um país onde se afirma que educação é prioridade, uma carga tributária superior a 40% é lamentável”, diz Mello.

 

Confira dicas para a economia na compra dos materiais escolares

Pesquise
Com a facilidade de pesquisa de preço pela internet, a compra pode se tornar mais fácil, pois dá para conhecer lojas que nem se imagina que existem, e elas podem ter preços bem mais em conta. Cuidado com sites que tenham preços muito baixo pois o risco de comprar e não receber é grande.

Compre no atacado
Lojas que vendem a atacado costumam ter preços menores que as do varejo, por isso, os especialistas indicam que os pais se juntem para comprar certos itens em um grupo grande.

Negocie condições
Pechinchar ainda funciona, e muito bem. Os pais devem procurar o benefício por trás das formas de pagamento e se for parcelar, que seja sem juros; se for à vista, tente um preço melhor.

Compre um mês antes
No período de volta às aulas os preços dos materiais escolares aumentam. Os pais podem driblar este aumento simplesmente se programando para comprar os materiais um pouco antes.

Envolva as crianças nas escolhas
A compra de materiais se torna complicada a partir do momento que as crianças mostram querer um produto (normalmente os mais caros) e os pais, outros. Para sair deste impasse conversando com as crianças pois é importante que os pais mostrem para os filhos que estão economizando.

Avalie a lista
Os pais devem se reunir para, assim, colocar as questões sobre a lista em voz alta nas reuniões escolares. Se existem exigências desnecessárias, elas não voltarão no ano seguinte.