Paulínia prepara ações para prevenção da Dengue e contrata mais profissionais

seta-voltar-paulinia

A Secretaria de Saúde de Paulínia informa que os Técnicos de Controle de Vetores do Centro de Controle de Zoonoses – Departamento de Vigilância em Saúde (VISA) realizaram, em outubro de 2015, o estudo de busca de criadouros e de larvas do mosquito do gênero Aedes SP (transmissor da Dengue, Chickungunya e Zika) em casas do Município.

O estudo chamado, de ADL (Avaliação da Densidade Larvária), é realizado no Município em três momentos: na pré-epidemia, durante a epidemia e após a epidemia e faz parte do protocolo de controle do vetor, preconizado pelo Ministério da Saúde.

O índice resultante da ADL realizada em outubro, para Paulínia foi de 1,3, o que classifica o Município dentro do “Estado de Alerta” para a Dengue. Este índice nada mais é que a quantidade de larvas encontradas em recipientes/criadouros dentro das casas visitadas pelos agentes da Dengue no Município neste período.

Portanto, é de extrema importância que a população verifique constantemente quaisquer possíveis recipientes que possam acumular água e eliminá-los.

A Prefeitura de Paulínia contratou mais 18 profissionais para atuar no controle de endemias, que iniciaram seus trabalhos em 03 de dezembro, que passaram por treinamento com técnicos da Zoonoses e Vigilância Epidemiológica de Paulínia e também com os técnicos estaduais da SUCEN – Superintendência de Controle de Endemias .

Além disso, serão realizadas atividades de educação para o combate da Dengue junto às comunidades, sensibilizando-as para a sua responsabilidade no controle do mosquito. Estas atividades se iniciam no dia 6 de dezembro no evento “Manhã no Parque”, no Parque Zeca Malavazzi, das 8 às 12 horas. Também serão feitas atividades nas escolas e nos bairros. A Secretaria esta adquirindo mais testes rápidos para o diagnóstico precoce da Dengue, ou seja, em poucas horas o paciente já é diagnosticado e recebe o tratamento adequado.

O secretário de Saúde, Dr. Ricardo Carajeleascow, anunciou a contratação de mais 18 agentes para atacar os focos do mosquito Aedes Aegypti na cidade, elevando o número para 30 profissionais envolvidos nas operações de prevenção aos arbovirus (vírus transmitidos por insetos artrópodes, no caso, os mosquitos). Informou também que manterá a realização de testes rápidos; nos serviços de saúde e a manutenção do Núcleo de Vigilância IntraHospitalar para que se tome conhecimento de novos casos da doença e notificá-la o mais rápido possível, além do núcleo interdisciplinar para na prevenção e cuidados de eventuais casos de Zika, Chikungunya e Dengue.