Ministério Público de Sumaré apura uso de crianças na Vila Soma

seta-voltar-sumare

Ministério Público de Sumaré apura uso de crianças na Vila Soma
Crianças são usados em “exército” para reprimir entrada de autoridades

O promotor da Vara da Infância e Juventude de Sumaré, Denis Henrique Silva, iniciou na quarta-feira (20-jan) investigação sobre o uso de crianças no “exército” criado na Vila Soma para resistir à ordem judicial de reintegração de posse marcada para o dia 17 de janeiro e que foi suspensa pelo STF (Supremo Tribunal Federal). O promotor deu prazo até o dia 30 para que membros do Conselho Tutelar identifiquem crianças e responsáveis.

Dias antes da reintegração, moradores da Vila Soma se armaram com escudos, paus e foices e montaram barricadas nas entradas da ocupação. Crianças apareceram em imagens como integrantes do grupo de resistência. A liderança do movimento disse não ter sido notificada sobre a investigação, mas informou que “não houve orientação para que crianças participassem dessas atividades”.

Iniciada em 2012, a ocupação conta com cerca de 10 mil pessoas entre elas, cerca de duas mil crianças.