Funcionários da Petrobras Paulínia fazem novo ato de protesto

seta-voltar-paulinia

Funcionário da Petrobras Paulínia fazem novo ato de protesto
Paralisação foi em protesto pela morte de um petroleiro na Petrobras de Duque de Caxias RJ que caiu em um tanque de óleo quente

Funcionários e terceirizados da Petrobras de Paulínia (Replan), fizeram um ato de protesto atrasando a entrada no turno da manhã desta quinta-feira (4-fev). O ato é um repúdio contra a morte de um petroleiro na refinaria de Duque de Caxias no Rio de Janeiro, no domingo (31-jan), devido a um acidente de trabalho. O turno, que deveria começar às 7h, terá início por volta das 10h.

Segundo a coordenação regional Campinas do Sindipetro Unificado, cerca de 2,5 mil trabalhadores participaram do ato. O objetivo do protesto de acordo com o sindicato não é afetar a produção da refinaria, mas o atraso deve prejudicar atividades administrativas.

A morte
De acordo com o sindicato dos funcionários, a morte de Luiz Augusto Cabral de Moraes, de 56 anos, ocorreu em um procedimento de medição, o teto se rompeu e o operador caiu dentro de um tanque de estocagem de óleo lubrificante com 14 metros de altura e temperatura de 75ºC. O corpo do petroleiro só foi encontrado na tarde de terça-feira quase 48 horas após o acidente.