Torcedores entram em confronto com a polícia após jogo do Guarani em Campinas

seta-voltar-campinas

policia_torcedores-guarani
Policiais entram em confronto com torcedores do Guarani após derrota para o Barretos em Campinas

Os cerca de 6 mil torcedores que foram ao Brinco de Ouro na manhã de domingo (3-mar) se decepcionaram com a atuação do Guarani ao perder de 2 a 0 para o Barretos em partida válida pela 1ª fase do Campeonato Paulista da Série A-2 e a desclassificação precoce da competição. Na saída do gramado os jogadores foram muito vaiados e críticas após a eliminação precoce do time no estadual, na saída do estádio, um grupo de torcedores lançou pedras contra a sede administrativa do Guarani.

Algumas chegaram a quebrar os vidros. Pedras e garrafas também foram jogadas no vestiário dos jogadores, um torcedor até conseguiu entrar na sala de entrevistas para ofender o treinador durante coletiva.

Do lado de fora, a Polícia Militar fez um cerco em frente ao estádio enquanto tentava dispersar a torcida. Bombas de efeito moral e balas de borracha foram utilizadas. Alguns torcedores que não estavam na confusão deixaram o Brinco de Ouro assustados. Um idoso chegou a ser atingido de raspão na mão. Aos poucos, a polícia, com a ajuda da cavalaria, conseguiu cercar o estádio e afastar os torcedores mais exaltados. De acordo com a polícia, os torcedores também tentaram atingir os carros dos jogadores, mas houve a contenção antes de qualquer problema mais grave.

Apesar dos atos de vandalismo contra as dependências do clube, a assessoria de imprensa do Guarani informou que o prejuízo não foi tão grande. Na saída do gramado, o meia Fumagalli lamentou o desfecho negativo da campanha alviverde. O Bugre dependia apenas de si para avançar, mas fracassou e ficou pelo caminho pelo terceiro ano consecutivo na A2.