Vacinação contra gripe em Campinas: Mais de 160 mil pessoas são vacinadas; campanha está próxima do término – veja sintomas e como prevenir

seta-voltar-campinas

vacinacao-contra-gripeA Secretaria de Saúde de Campinas informou que mais de 160 mil pessoas já foram vacinadas no município contra a gripe desde o início da Campanha Nacional de Vacinação, em 30 de abril. O número divulgado equivale a uma cobertura de 66,5% do público-alvo. A meta é vacinar, pelo menos, 80% das 245 mil pessoas com risco para complicações por gripe.

O Ministério da Saúde enviou para Campinas 300 mil doses da vacina para a campanha, que vai até dia 20 de maio e que protege contra os três subtipos do vírus recomendados pela Organização Mundial da Saúde (OMS) a (A/H1N1, A/H3N2 e influenza B). O número de doses é maior porque, além do público-alvo, a campanha inclui os doentes crônicos com indicação para a vacina, estimados em mais de 60 mil.

Locais de vacinação
As vacinas estão disponíveis em todos os Centros de Saúde. O Centro de Saúde do Taquaral, que está em reforma, disponibiliza as doses na Rua Carolina Florence, 836, das 8h às 17h (as crianças devem ser vacinadas nos Centros de Saúde São Quirino e Conceição).

Já o Centro de Saúde do Centro faz a aplicação das vacinas na Casa de Portugal (Rua Ferreira Penteado, 1.349) das 8h30 às 17h30 (as crianças devem ser vacinadas na sede do Centro de Saúde do Centro, na rua Padre Vieira, das 9h às 18h). Informações podem ser obtidas pelo telefone 156.

 




Cartão e documento
Para receber a dose, é importante levar o cartão de vacinação e o documento de identificação. As pessoas com doenças crônicas ou com outras condições clínicas especiais também precisam apresentar prescrição médica, especificando o motivo da indicação da vacina. Pacientes cadastrados em programas de controle das doenças crônicas do Sistema Único de Saúde (SUS) deverão se dirigir aos postos em que estão registrados para receberem a dose, sem necessidade de prescrição médica.

A vacina contra gripe é segura e reduz as complicações que podem produzir casos graves da doença, internações, ou até mesmo óbitos. Estudos demonstram que a vacinação pode reduzir entre 32% a 45% o número de hospitalizações por pneumonias e de 39% a 75% a mortalidade por complicações da influenza.

gripe-h1n1-cuidados-prevencao-vacinaDúvidas comuns sobre a gripe H1N1

1. O que é a gripe H1N1?
É uma gripe do tipo A causada pelo vírus H1N1, que circula entre humanos. Ele foi detectado no México, em abril de 2009, e se disseminou rapidamente, causando uma pandemia mundial chamada, na época, de gripe suína.

2. Como a gripe é contraída?
Quando se inala secreções do doente ao falar, espirrar ou tossir e quando há contato com superfícies infectadas, como mesas, maçanetas ou talheres.

3. Quais são os sintomas?
Os mesmos da gripe normal, porém mais fortes: febre alta, tosse, dor muscular, dor de cabeça e de garganta, coriza e irritação nos olhos e ouvidos. Também pode provocar falta de ar e dor no tórax.

4. Como prevenir e evitar?
A vacinação é a melhor maneira, mesmo não sendo 100% eficaz. Além disso, evite levar a mão aos olhos, ao nariz e à boca, lave sempre as mãos com sabão ou álcool e cubra a boca quando for tossir ou espirrar.

5. Como funciona o tratamento?
O doente deve repousar, beber muito líquido e evitar álcool e cigarro. Medicamentos como o paracetamol (Tylenol) podem ser usados para combater febre e dores. Em casos graves ou grupos de risco (idosos, crianças, asmáticos, cardiopatas, diabéticos, indígenas, entre outros), pode ser recomendado antiviral, como o oseltamivir (Tamiflu), vendido com receita médica.

A vacina de gripe é atualizada todos os anos para adequá-la aos vírus circulantes naquela estação e sua composição é definida pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

Ela protege contra três tipos da doença: H1N1, H3N2 e Influenza B.


gripe-a-H1n1-prevenca-vacina-campinasA vacina é importante e também é a forma mais ágil para proteger a população, mas cuidados básicos ainda são necessários:

1. Ao espirrar, sempre cubra a boca com as mãos ou com um lenço;
2. Não compartilhe alimentos, copos, toalhas e outros objetos de uso pessoal;
3. Evite tocar nos olhos, boca e nariz em ambientes públicos, ou antes, de higienizar as mãos, pois esses são locais por onde o vírus pode entrar;
4. Lave sempre as mãos, com sabão ou álcool em gel, especialmente após tossir ou espirrar;
5. Aglomerados de pessoas e ambientes fechados são locais propícios à contaminação, então é bom evitá-los sempre que possível.