Após 22 dias, chega ao fim greve dos servidores públicos de Campinas

seta-voltar-campinas

prefeitura-de-campinas
Após acordo judicial reajuste será pago em duas parcelas

Após 22 dias, chegou ao fim à greve dos servidores públicos de Campinas na segunda-feira (13-jun), por imposição da Justiça após acordo judicial homologado pelo juiz da 2ª Vara da Fazenda Pública, Wagner Gidaro.

A direção do Sindicato dos Trabalhadores do Serviço Público conseguiu um reajuste de 9,33%, divididos em duas parcelas, sendo 5% em maio e 4,33% em setembro. Até então, o sindicato insistia em 23% de reajuste.

Ficou definido também que o vale-alimentação e vale nutricional, será aplicado o índice integral de 9,33% em maio. Atualmente, o auxílio alimentação dos funcionários na ativa é de R$ 788,00 e o vale nutricional dos aposentados, R$ 120,00. Com o reajuste, passarão para R$ 861,52 e R$ 131,20, respectivamente. Os servidores queriam vale no valor de R$ 1.017,00 e pediam ainda a criação de programas de benefícios como seguro de vida e a construção de um hospital exclusivo para a categoria.

 




A direção do sindicato informou em nota que o acordo foi homologado em audiência de conciliação e que os trabalhadores deveriam voltar ao trabalho nesta terça-feira (14 de junho). Ainda segundo o sindicato, o acordo homologado estabeleceu que os trabalhadores que estiveram em greve não terão os dias parados descontados nem repostos.

Haverá apenas reposição na Educação. A forma como será feita essa reposição ainda será organizada pela Secretaria de Educação.

Durante todo o período de paralisação a Administração Municipal chegou a ter de 5% de adesão dos servidores à greve. A Prefeitura de Campinas conta com 17,8 mil servidores ativos e 8,5 mil aposentados e pensionistas.

Greve 2015
Em 2015, a prefeitura também acionou a Justiça para conseguir um acordo com os servidores municipais em greve, após ter quatro propostas rejeitadas pela categoria durante assembleias. A greve durou 16 dias. À época, ficou definido um reajuste salarial de 8,3%.