Justiça tem nova decisão sobre o leilão do estádio Brinco de Ouro em Campinas

venda-estadio-brinco-ouro_guaraniA Justiça manteve o cancelamento do leilão do estádio Brinco de Ouro, portanto, a negociação com a Magnum continua sob vigência. A decisão em segunda instância foi dada no dia 03 de agosto no TRT (Tribunal Regional do Trabalho). O recurso da empresa Maxion Empreendimentos foi julgado e negado por unanimidade. O próximo passo é o caso voltar para as mãos da juíza Ana Cláudia Torres Vianna, para uma nova avaliação dos valores do patrimônio do clube, que pode fazer com que a Magnum tenha que desembolsar um valor maior. Ainda não há data para a avaliação.

O presidente do Guarani, Horley Senna, comemorou a decisão. “A proposta da MMG é a melhor, tanto que hoje foi sacramentada, dando sequência na manutenção da empresa. Ficamos confortáveis porque a decisão foi unânime. Agora o Guarani segue sua vida, buscando o acesso com mais tranquilidade”, comentou Senna.

A empresa MMG, representada pela Magnum, já pagou cerca de R$ 100 milhões em dívidas e realiza aporte mensal de R$ 350 mil há 10 meses. Pela proposta vigente, o Guarani só entregará o estádio quando a nova arena estiver pronta.

Anulação da venda do estádio
Em julho de 2015, a juíza Ana Cláudia Torres Vianna do TRT Campinas decidiu pela anulação do leilão do estádio cancelando a hasta pública (ato processual pelo qual se vendem bens penhorados) vencida pela Maxion Empreendimentos Imobiliários em 30 de março.

Com isso, a juíza automaticamente aceitou a proposta feita pela Magnum. O empresário ficaria responsável, a partir do pagamento de R$ 105 milhões combinados em audiência pública, por todas as dívidas trabalhistas e também o patrimônio.

A decisão da juíza agradou as partes mais interessadas na venda do estádio (clube e credores), mas desagradou a empresa Maxion, que recorreu em segunda instância para recuperar os direitos sobre o Brinco de Ouro.