Em ação inédita no país justiça afasta 13 vereadores de Paulínia por denúncia de decoro parlamentar

camara-municipal-de-paulinia
Suplentes ao cargo tomam posse e já abrem CP e irá investigar o prefeito

Em uma decisão única na história da politica nacional, o juiz da 1ª Vara de Paulínia (SP), Carlos Eduardo Mendes, determinou o afastamento de 13 dos 15 vereadores do município na sexta-feira (2-fev), após denúncia de decoro parlamentar num processo de compra de votos para impedir que o prefeito Dixon de Carvalho (PP) fosse investigado. Na decisão do magistrado, os suplentes devem ser convocados em 48 horas para assumir os cargos vagos para votar uma CP (Comissão Processante) que pode levar à cassação do mandato contra o prefeito.


Dos 15 vereadores de Paulínia, ficam no cargo dois : Kiko Meschiatti (PRB) e Tiguila (PPS). Como o vereador mais votado, agora Kiko irá presidir a sessão que elegerá a nova mesa diretora que votará a instalação da CP e irá investigar o prefeito e os 13 parlamentares. A previsão é que a posse dos novos vereadores ocorra até terça-feira (6).

Dos 13 suplentes, dois deles (Luciano Ramalho e Carlos Alberto Coelho, o Grilo) já são da base do prefeito Dixon. Ramalho é Secretário de Educação e Grilo é Diretor de Turismo.

A assessoria da Prefeitura de Paulínia alegou, em nota, que a decisão diz respeito ao ato administrativo da Câmara e não cabe ao prefeito qualquer tipo de manifestação.

Vereadores afastados:
Fábio Valadão (PRTB), Dú Cazellatto (PSDB), presidente da Câmara; Zé Coco (PV), Edilsinho (PSDB), Danilo Barros (PR), João Mota (PSDC), Loira (PSDC), Marquinho Fiorella (PSB), Professor Xandynho Ferrari (PSD), Fábia Ramalho (PMN), Flavio Xavier (PSDC), Marcelo D2 (Pros), Manoel Filhos da Fruta (PCdoB).

Suplentes:
Neco Vieira, Nei do Transporte, Gibi, Robert |Paiva, Gustavo Yatecola, Marquinho da Bola, Maroca, Luciano Ramalho, Grilo, Luiz Voltan, Sargento Camargo, Marcelo Souza e Angela Calegaris.