Brasil tem sete casos de câncer de próstata por hora

Cada vez que a maioria dos homens ouve falar em exame de próstata, o resultado sempre é de recusa e preconceito explicam os médicos que apontam que o homem não entende que se consultar regularmente beneficia o corpo todo. E é justamente essa desinformação que ajuda a potencializar os 69 mil casos da doença que são detectados anualmente no Brasil.

São sete casos a cada hora no país, segundo a SBU (Sociedade Brasileira de Urologia). Esse câncer é singular porque não possui um agente específico como o cigarro, que é um dos principais responsáveis pelo desenvolvimento de câncer nos pulmões. A próstata é um órgão exclusivamente masculino e sofre influência de hormônios. Entre eles está a testosterona, que faz com que as células se multipliquem e aumentem o risco do desenvolvimento de tumores. Portanto, ao longo da vida, todos os homens têm risco, mas é a partir dos 80 anos que pequenos focos de células tumorais aparecem naturalmente.

Detectar a doença precocemente por meio de exames significa diminuir a mortalidade em 21%. E incentivar a prevenção é o objetivo da campanha Novembro Azul. O mais importante na hora da detecção é saber se o câncer é agressivo ou não, por isso a visita ao urologista precisa ser regular: recomenda-se que os homens a partir de 50 anos realizem uma consulta anual. “Descobrir o tumor no começo pode diminuir as chances de o paciente ter outros problemas, como a incontinência urinária”, explica o urologista americano David Sussman, professor do Departamento de Urologia da Universidade de Rowan, em New Jersey.

Exames
Os principais exames que identificam a doença são o PSA e o toque retal. O primeiro se dá pela coleta e análise de amostras de sangue, e o outro é o “temido” exame de toque, que avalia se a proporção da próstata está ou não fora do normal.

Existe também a ressonância magnética multiparamétrica da próstata, que é uma ferramenta razoavelmente recente. Já é, inclusive, a mais eficaz no que diz respeito a constatação de particularidades desse tipo de câncer, tanto que geralmente é feita para indicar onde exatamente o material para biópsia precisa ser coletado. O pedido é sempre feito pelo urologista quando o grau de suspeita é maior.