Teste identifica colonização microbiana de bactérias em piscina de bolinhas

piscina de bolinhas
Testes mostram que instalações devem estabelecer um programa de limpeza regular

Em recente teste realizado em piscinas de bolinhas de clínicas de fisioterapia foi identificado uma “considerável colonização microbiana”, incluindo 31 tipos de bactérias e uma levedura capazes de causar doenças em crianças. O estudo foi realizado por pesquisadores da Universidade do Norte da Geórgia. Entre as bactérias encontradas está a Enterococcus faecalis que pode provocar meningite, pneumonia, infecções no trato urinário e septicemia (infecção generalizada).



A colonização bacteriana encontrada foi altíssima, chega a atingir milhares de organismos por bola, o que indica um aumento do potencial de transmissão e maior possibilidade de infecção”, disse Mary Ellen Oesterle, principal autora do estudo. Como a limpeza desse brinquedo (bolinhas) pode levar dias ou até semanas, isso pode permitir que os microrganismos acumulem e cresçam para níveis capazes de transmissão e infecção. Esse risco aumenta se o indivíduo apresentar lesões ou abrasões na pele, que servem de porta de entrada para esses micro-organismos.

De acordo com a presidente da Associação de Profissionais em Controle de Infecções e Epidemiologia (APIC), Karen Hoffmann, as instalações devem estabelecer um programa de limpeza regular nesse material para proteger a saúde das crianças.

Mais notícias de saúde